Mais marcas de

Princípios fundamentais de um design de produto numa economia circular

 

Tirar, fazer, desperdiçar - este tem sido o modelo de produção tradicional há décadas. Ao longo do tempo, aprendemos que esta economia linear tem algumas falhas profundas e inerentes.

Não só a economia linear produz quantidades incalculáveis de materiais inutilizáveis e não recicláveis, com um impacto negativo no ambiente, como também falha na promoção da sustentabilidade - um componente fundamental do crescimento efetivo do negócio. De acordo com a revista científica Nature, o prolongamento dos recursos existentes poderia "diminuir as emissões de alguns países em até 70%... e diminuir significativamente o desperdício".

 

Para utilizar os recursos de forma mais eficiente e económica, muitas empresas estão a adotar uma abordagem de economia circular que, no contexto da indústria da iluminação, se manifesta na forma de iluminação circular.

 

Dito de uma forma simples: e se a sua solução de iluminação não fosse um produto, mas sim um serviço? Historicamente, quando uma empresa adquiria equipamento de iluminação, sabia que a vida útil do hardware, bem como o retorno do investimento da empresa, eram finitos. Tal é verdadeiro para produtos de todos os tipos; considere a forma como os fabricantes de telemóveis prenderam os consumidores num ciclo interminável de modelos cada vez mais avançados

 

Tal como os utilizadores de telemóveis, as necessidades da sua empresa podem mudar ao longo do tempo, exigindo por vezes atualizações antes do fim do ciclo de vida útil físico do produto. Eventualmente, a maior parte dos produtos são eliminados, criando assim desperdício e fomentando a necessidade de um produto de substituição e, em última análise, de um investimento totalmente novo. O modelo de negócio cada vez mais popular de Luz como um Serviço (LaaS - Light as a Service) já é baseado na ideia de que não temos necessariamente de ser proprietários de equipamentos para beneficiarmos dos mesmos; em vez disso, o contrato pode incluir serviços técnicos e de manutenção para manter os equipamentos a funcionar de forma ideal.

 

Mas o modelo LaaS apenas responde a uma parte do desafio. Para realmente participarem numa economia circular, as empresas necessitam de um serviço de iluminação circular, que requer produtos prontos para a economia circular.

Criar uma melhor iluminação

Com a iluminação circular, a ideia é construir um ecossistema que tenha um impacto mínimo no ambiente e que forneça um máximo retorno para os clientes.

 

Como é que funciona? As empresas que necessitem de iluminação LED de ponta podem adquirir um contrato de serviço que inclui instalação, desempenho e assistência. Quando o contrato expirar, o equipamento pode ser reutilizado ou devolvido para reciclagem. Enquanto que o modelo de LaaS permite pagar a iluminação e não o equipamento, a iluminação circular leva este conceito a todo um novo nível: não obterá apenas um equipamento de iluminação standard, mas sim produtos mais duradouros que podem ser reaproveitados, reutilizados, remanufaturados ou totalmente reciclados.

 

Este modelo tira o maior partido de valiosos recursos, reduzindo a quantidade de pressão sobre o ambiente enquanto também satisfaz a necessidade de iluminação superior. A antiga economia de tirar, fazer e desperdiçar é substituída por uma alternativa circular baseada numa mentalidade inovadora e mais responsável: fazer, utilizar, devolver.

Empresas preparadas para o futuro, um contrato de cada vez

 

Num mundo em que preparar a sua empresa para o futuro - isto é, antecipar e preparar para alterações às tecnologias das quais depende - é fundamental, são muitas as vantagens de um sistema regenerativo e do design de produto relacionado.

 

Tendo isso em conta, há bastante a considerar quando seleciona um contrato de iluminação. As preocupações comuns incluem custos ocultos, taxas de eliminação, a complexidade associada à atualização de produtos e, claro está, o próprio produto! Nem sempre é óbvio quando os produtos usados durante um contrato de serviços são otimizados para uma economia circular e quando cumprem o prometido.

 

Assim sendo, como pode saber se os produtos usados durante o contrato de serviço estão otimizados para uma economia circular?

 

Na Philips Lighting, já fornecemos uma orientação e um enquadramento claros daquilo que são os principais elementos de um produto verdadeiramente circular. Tomemos o Philips Pacific LED gen4 como exemplo. A nova Pacific LED, uma das nossas luminárias prontas para economia circular, elimina os problemas de ter e efetuar a manutenção de um sistema de iluminação e é um verdadeiro componente do fornecimento de um contrato de iluminação circular. Possibilita tudo isto através de:

 Facilidade de atualização: após a instalação, a luminária conta com uma elevada eficiência de até 140 lm/W e um ciclo de vida útil médio de 100 000 horas, podendo possibilitar poupanças nos custos com energia de até 60%. Além disso, a luminária pode ser atualizada para sistemas de iluminação tais como o GreenParking da Philips em qualquer momento após a instalação e os utilizadores podem beneficiar de ainda mais poupanças em termos de eficiência e despesas operacionais devido à inteligência integrada da luminária.

 

• Facilidade de manutenção: os componentes modulares são bastante fáceis de reparar e manter. Para começar, estes produtos têm uma taxa de falha 50% inferior, de 0,5% a 5000 horas, e uma vida útil 30% mais longa do que um equipamento de iluminação standard. A luminária pode funcionar nos ambientes mais exigentes, desde instalações de armazenamento a frio até instalações de lavagem de automóveis.

 

 Design modular e facilidade de desmontagem: os componentes modulares padronizados também são fáceis de desmontar e reutilizar conforme necessário. Em cinco ou menos passos, o nosso equipamento pode ser desmontado sem risco de dados a peças individuais.

 

 Reciclagem fácil: depois de desmontados, os produtos e componentes prontos para economia circular podem ser colocados em cadeias de separação de lixo. A ausência de controladores revestidos com material de isolamento, conexões coladas e interligadas, que podem ser difíceis de desligar, permite uma reciclagem fácil, o que significa que os materiais podem ser reutilizados praticamente na totalidade.

 

A economia circular não só impulsiona a inovação e faz um melhor uso dos recursos, como também as suas implicações no setor da iluminação permitem que as empresas façam uma melhor utilização das suas instalações de iluminação e beneficiem de contínuas atualizações ao longo do tempo. Também é importante notar que apenas através de parcerias com uma empresa que fornece equipamentos verdadeiramente preparados para economia circular, e que gere o reaproveitamento no final do contrato, é possível participar num modelo de produção que é construído para beneficiar as empresas e o nosso mundo moderno.

 

Visite o nosso website para obter mais informações sobre iluminação circular e para ver com maior detalhe como esta está a mudar a forma como levamos a cabo a nossa atividade. Também pode ver a nossa primeira luminária preparada para economia circular, a Pacific LED gen4.